Terça-feira, 25 de setembro de 2018

Facebook Twitter Instagram

<< Voltar

Marauense Francisco Turra é cotado para assumir o Ministério da Agricultura

Publicado em 04.05.2016 19:42

turraa

Faltando uma semana para a votação do impeachment no plenário do Senado, cresce a disputa pelo comando dos ministérios de um eventual governo Temer. A notícia de que a pasta da Agricultura ficará com o PP (Partido Progressista) fez aumentar as especulações sobre o novo ministro. O partido também deve ser contemplado com a Saúde e o principal nome neste caso é do médico Raul Cutait.

Entre os cotados para o Ministério da Agricultura, figuram nomes de três gaúchos: o da senadora Ana Amélia Lemos (PP), integrante da comissão especial do impeachment, do deputado federal Luis Carlos Heinze, e do ex-ministro Francisco Turra, pai do deputado estadual Sérgio Turra.

O marauense Francisco Turra, após assumir como presidente da CONAB, entre 1996 e 1998, assumiu o Ministério da Agricultura e do Abastecimento, ainda em 1998, nos últimos meses do primeiro mandato de FHC. Foi ministro durante 15 meses, época em que a safra de grãos bateu o recorde nacional e o investimento em agricultura familiar duplicou. Deixou o cargo quando da reforma ministerial da posse do segundo mandato de FHC, no início de 1999. Tem a experiência necessária que Michel Temer busca. Delfin Netto inclusive sugeriu o nome do marauense para o posto.

Ana Amélia é um nome que tem grande prestígio entre entidades agrícolas, além do respaldo de líderes nacionais. Atualmente, a senadora presidente a Comissão de Agricultura no Senado. No entanto, em que pesem as especulações, a senadora tem dado sinais de que gostaria de permanecer à frente das atividades do mandato. Além disso, o suplente de Ana Amélia é do PSDB (o ex-secretário do governo Yeda José Carlos Wenzel).

A tendência é que o posto fique, portanto, com um nome relacionado à bancada do PP na Câmara dos Deputados, que fechou questão favorável pelo impeachment de Dilma antes mesmo de uma posição partidária. Os deputados se sentiram desrespeitados pela indicação de Cutait, feita de forma “isolada” pelo senador Ciro Nogueira, presidente do PP.

“Nos últimos dias tem se consolidado a visão de que a Agricultura ficará mesmo com o PP da Câmara. O PP que ganhou a Saúde é o do Ciro Nogueira. O outro PP tem que estar na Esplanada também”, diz um deputado com trânsito no Palácio do Jaburu.

Ao blog Cenário Político, o deputado Luis Carlos Heinze deu sinais de que estaria disposto a assumir o Ministério, caso fosse o indicado. Ressaltou, porém, que a indicação será do partido.

“Depende do partido definir, é o presidente quem vai indicar. Mas trabalho há mais de 40 anos nesta área, não teria problema assumir o desafio”, disse Heinze.

Nos bastidores do Congresso, o comentário é de que Heinze estaria em campanha informal em busca de apoios para se tornar ministro. O deputado nega.

Fonte: Kelly Matos / Rádio Gaúcha

Relacionado

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.