Quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Facebook Twitter Instagram

<< Voltar

Brincadeira levada a sério

Publicado em 18.07.2015 17:09

Desenvolvimento de jogos ganha cada vez mais espaço no país

Um garotinho lutando contra zumbis de pelúcia. Essa história é realidade no jogo Kid vs Teddy Zombies desenvolvido pelo acadêmico do 7º nível do curso de Sistemas de Informação da IMED, Alisson Signori.

Conforme explica o autor do game, “o jogo aborda um estilo diferenciado que mistura puzzle com aventura em um ambiente de outro mundo. O garotinho se encontra em um sonho, adora queijo e zumbis estão atrás dele. É nesse clima de tensão que o jogo acontece, pois permite ao jogador enfrentar inimigos e ter de tomar decisões rápidas para se dar bem”.

Os desafios do personagem são de enfrentar hordas de zumbis de pelúcia e ao mesmo tempo desviar dos obstáculos no caminho para avançar o máximo que conseguir. “O jogo não possui um fim, ou melhor, é dinâmico, passando assim uma experiência nova para o jogador a cada vez que ele avança. Não deixar os zumbis te pegarem e superar a pontuação máxima são os principais objetivos”, conta.

O game foi desenvolvido na disciplina Jogos e Mídias Interativas, ministrada pelo professor Lucas Scortegagna, que explica que a disciplina visa despertar no aluno o interesse pela área, abordando o mercado de jogos, processo da criação, processo criativo, narrativas, game design e prática de desenvolvimento utilizando a game engine Unreal 4.

Interessado pelo mercado de games desde muito cedo, Alisson conta que pensa em se especializar nessa área e fazer disso uma profissão. “Este é o meu segundo game, meu primeiro foi feito para tablets e smartphones no meu tempo livre, com a intenção de obter experiência. Ao mesmo tempo em que estava aprendendo utilizava o conhecimento adquirido para agregar algo no meu jogo e é claro, meus amigos eram as cobaias que testavam. Logo após finalizar a versão teste do meu primeiro game, já existiam ideias para outros. Acabei não finalizando por inteiro o primeiro, já é possível jogar, mas preciso corrigir algumas coisas”.

Alisson destaca a emoção de ver seus projetos finalizados e reconhecidos. “Perceber que começar do zero, com rabiscos e aos poucos ir construindo aquilo que se esperava, tirando do papel aquele projeto antigo e colocando na prática até chegar nessa última versão. Esse sentimento de orgulho, de quem diz ‘missão cumprida’ proporciona um prazer imenso por ter alcançando os resultados desejados. De início comecei a desenvolver pela experiência de vivenciar algo assim, faço isso porque gosto, aliás, experiência fantástica por sinal. O melhor de tudo ainda é ver que as pessoas perceberam o seu esforço, pra mim não tem inspiração maior do que ver as pessoas felizes com o seu trabalho”.

Para quem gosta desta área o professor Lucas destaca que o cenário é promissor. “O mercado de desenvolvimento no Brasil está em crescimento com alguns destaques no cenário internacional. A cada ano surgem mais empresas, porém ainda carece de bons títulos. O mercado consumidor não é apenas nacional, pode-se facilmente vender para o mundo todo através da distribuição digital. Recentemente empresas brasileiras tiveram destaque no cenário internacional. O jogo Toren (Swordtales – RS), Chroma Squad (Behold Studios – DF) e Starlit Adventures (Rockhead Games – RS) podem ser considerados cases de sucesso. Além disso, existem vários jogos com potencial em produção, por exemplo, o jogo Alkimya (Bad Minions – DF) e o jogo Super Volley (SouthBox Game Studio – incubada na IMED)”, finaliza.

O game Kid vs Teddy Zombies está em uma versão de teste, e Alisson ainda busca feedbacks para poder finalizá-lo e publicá-lo oficialmente. A atual versão está disponível no link https://goo.gl/Prnw13. Basta fazer o download e abrir o arquivo.

jogos2 jogos1

 

Relacionado

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.